terça-feira, 20 de junho de 2017

Forró Ticomia O Forró Ticomia, a mais tradicional festa de camisa do São João da Bahia, completa 30 anos nesta edição de 2017 e apresentará oito bandas para animar os milhares de participantes que ao longo desse período têm demonstrado fidelidade e paixão pelo evento. No dia 24 de junho, a partir do meio-dia, a Fazenda Eldorado, localizada a quatro quilômetros da cidade de Ibicuí, abrirá seus portões para celebrar a história de três décadas do Ticomia, com as bandas Saia Rodada, Mastruz com Leite, Cavaleiros do Forró, Lordão, Gabriel Diniz, Luan Estilizado e as duplas sertanejas Maiara & Maraísa e César Menotti & Fabiano. Este é o maior elenco a se apresentar nos palcos dessa fazenda de gado e promete mais de 12 horas de produção musical para embalar a festa junina que oferece bebidas e comidas all inclusive. A festa Ticomia começou em 1987, quando um grupo de estudantes de Agronomia e Veterinária da UFBA (Universidade Federal da Bahia) vinha passar férias em Ibicuí, a convite de colegas dos cursos, e resolveu ao lado dos anfitriões e moradores animados da cidade criar o que seria o primeiro Bloco “Ticomia”. A partir daí, o evento deu certo e se tornou o ponto alto do São João de Ibicuí, com grande sucesso na Bahia, e ganhando dimensão nacional com a vinda de pessoas de outros estados, atraídas pela tradição da cultura junina e a repercussão da qualidade dos serviços oferecidos. O produtor Lourival Dourado Filho, mais conhecido como Douradinho, destaca que o Ticomia tem como compromisso valorizar o forró e as raízes da cultura nordestina. Lembra que a ideia da festa surgiu com a intenção de manter a tradição junina e evitar que outros ritmos – como o ‘fricote’, à época – invadissem a temporada do São João na Bahia. E em Ibicuí, município que há 62 anos promove o São João mais original do estado, a festa encontrou o espaço ideal para celebrar a integração das pessoas que amam o ritmo forró, em clima de paz e alegria. Douradinho salienta que, durante o Encontro Nacional do Forró, realizado este ano na cidade de Cruz das Almas, foram apresentados dados que comprovam que as festas juninas se tornaram mais importantes economicamente para a Bahia do que o carnaval. Ele diz que a cultura junina se estende por todo o Estado e é uma comemoração marcante para a população da zona rural, que representa nossas raízes. “Em todo o mundo, quem for buscar suas raízes irá encontrá-las numa fazenda, num sítio, na zona interiorana. Por mais alta que a seja a árvore e sua grande copa, o seu sustentáculo será a sempre as raízes”, afirma o agrônomo Douradinho. Serviços - Para o promotor do Ticomia, uma das satisfações que a festa proporciona, por exemplo, é manter a parceria de décadas com os prestadores de serviço que colaboram com a produção e infraestrutura do evento. O casal Sara e Lourival Dourado trabalha o ano inteiro para aperfeiçoar o espaço da festa na fazenda Eldorado e proporcionar um serviço diferenciado de bebidas e comida típicas oferecido ininterruptamente durante o evento. Este ano, o conhecido “boi no rolete” será substituído pelo “porco no rolete”, mas será preparado e servido pela mesma equipe de profissionais do estado do Paraná. Além disso, haverá também churrasco, queijo coalho, acarajé e abará, crepe, beiju de tapioca com recheios, doces típicos do período junino, além de água de coco, caldo de cana, refrigerantes, batidas de frutas tropicais, cerveja, sorvete de cachaça, entre outros. A vila cenográfica instalada no lado oposto aos palcos, um dos pontos mais visitados do Ticomia, este ano recebeu calçamento de paralelepípedos, para ressaltar o charme das casinhas de taipa que servem doces típicos. A bodega do local disponibiliza licor, cachaça pura e com ervas, e tira-gostos variados de charque, mortadela, rapadura e bacalhau, com a animação de sanfoneiros e zabumba. A Skol continua como patrocinadora do Ticomia há quase trinta anos.



O artigo 9º da Lei de Responsabilidade Fiscal, parágrafo 4º,  determina que até o final dos meses de maio, setembro e fevereiro, o Poder Executivo deve demonstrar e avaliar o cumprimento das metas fiscais de cada quadrimestre, através de audiências públicas, anunciadas com ampla divulgação à população, de cada município. Até a presente data, não se tem notícia de que, o governo atual tenha cumprido essa determinação da lei.
No governo passado, as audiências, com as prestações de contas, foram estritamente cumpridas, dentro do prazo, durante os quatro anos e hoje já estamos no mês de junho e a população não tem conhecimento, nem anúncio público, de tal iniciativa pelo atual governo municipal.
A sensação que dá é que o governo de Uruçuca está igual a uma “barata tonta”, perdido na inabilidade administrativa, do atual gestor que, apoiou um deputado que só serviu para levar votos de eleitores incautos, de Uruçuca.
O gestor, com fama de Pinóquio, para justificar falta de projetos, disse em certa ocasião que a ex-gestora havia deixado o município inadimplente no CAUC, fato inverídico, tendo em conta que, se fosse verdade, não teríamos Casa de Parto, asfaltamento do centro da cidade, verba alocada para construção do PSF da zona rural, Portelinha, da escola Domingos Correia, dentre outros. Mas, a população tem conhecimento que, o governo Fernanda Silva recebeu o município das mãos dele, em situação de “terra arrasada”, quando deixou um passivo trabalhista de mais de 5 milhões de reais, por salários caloteados, não prestação de contas de PAA, PNAE, CRAS, CREAS, etc., além de débitos com fornecedores, aluguéis, contas de água, luz e telefone em atraso.
Na nova gestão, coloca algumas pessoas desqualificadas em pontos chave da administração municipal, como a Secretária de Saúde, onde a atual gestora, até o momento, não disse para que veio, a não ser desativar um equipamento importante, como a Casa de Parto, obrigando os filhos de Uruçuca nascerem em cidades circunvizinhas.
As audiências públicas realizadas, no governo anterior, eram acompanhadas por pessoas altamente qualificadas, como o ex-secretário de desenvolvimento social, José Nazal Soub, hoje vice-prefeito de Ilhéus; Antonio Calhau, controlador do município e professor de administração na UESC; Juscelino Costa da Silva, Contador, com vários títulos, incluindo mestrado e doutorado. Portanto, com essas qualificações, não precisa não precisa melhor apresentação, de quem fazia a transparência no Governo Fernanda Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Baianos que votarem a favor de denúncia contra Temer não serão punidos, garante Otto

O presidente do PSD na Bahia, senador Otto Alencar, assegurou que não haverá nenhuma sanção do diretório nacional da sigla a deputados feder...