sexta-feira, 2 de junho de 2017

Minha Mansão, Minha Vida: Novo programa do governo acolhendo nossa gente

Prédio em construção
Aproximando-se os seis meses da nova gestão, sem por em prática, obras públicas de relevância, o prefeito de Uruçuca Moacyr Batista de Souza Leite Júnior realiza, em ritmo acelerado, a reforma e a ampliação de um imóvel junto ao estádio Antônio Ferreira (Ferreirão).

De acordo com os boatos que circularam na época, o imóvel foi comprado em nome de um  ex-secretário, no segundo mandato do atual prefeito e posteriormente transferido para a atual companheira dele, conforme informações.
Enquanto as obras pessoais vão de vento em popa, pacientes para ter acesso a marcação de exames, com poucas fichas disponíveis, tem que entrar numa fila às 19 horas do dia anterior, dormindo na porta do posto, ao relento. As gestantes voltaram a ter que viajar, a cidades circunvizinhas, onde nasce crianças, sem cidadania uruçuquense, pela não utilização da Casa de Parto, inaugurada no governo passado. Funcionários contratados sendo remunerados, com meio salário mínimo. Serviços essenciais precários em Serra Grande. Lixo sendo recolhido em caçambas inapropriadas, tanto na sede, quanto Serra Grande, apesar do contrato milionário.
Início da reforma
O que chama a atenção da população é que o prefeito, em mandatos anteriores, sempre deixou obras, pela metade, por desvios de recursos, cujos exemplos temos o Ginásio de Esportes, Praça da Bíblia, Praça Gilberto Moura, reforma de postos de saúde, etc. Como em oito anos de mandato, o prefeito conseguiu concluir, apenas, uma obra, com recursos federais (Posto da Manga), ele tenta esconder as realizações dos governos anteriores, tendo como exemplo maior, a retirada da placa de reinauguração da Praça Miguel Baracho, obra realizada, com recursos próprios, pela ex-prefeita Fernanda Silva. 
Pela falta de obras  e recursos, para tocar obras, o prefeito culpa a ex-prefeita de ter deixado o município inadimplente, como ele deixou em 2012. Ora, se o município estava inadimplente em 2016, como chegaram os recursos para obras do asfaltamento no centro da cidade, da Casa de Parto, da Escola Domingos Correia, do PSF da Portelinha, da Praça da Ciência, do Proassist, da finalização das obras do ginásio de esportes, dos equipamentos de fisioterapia? A realidade é que o deputado apoiado pelo prefeito, não tem compromisso algum  com o município, até porque, dizem que, pagou uma quantia significativa, para ter o apoio dele aqui. Ao contrário do deputado Valmir Assunção que, não pagou nada a ex-prefeita e trouxe a maior quantidade emendas, em todos os tempos, inclusive, deixou algumas para o atual governo, que possivelmente não terá aptidão, nem capacidade  para finalizar obras.
Esta é a triste realidade, de como o município de Uruçuca se encontra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A AGONIZANTE CIDADE DE URUÇUCA

Agonizante significa adj.2g. (adjetivo de dois gêneros) Que está em agonia, em aflição.  (substantivo masculino) Indivíduo qu...